Central de Notícias

jornalista Guilherme Guidorizzi

Momento saudade – Alik Kostakis

Hoje, vai ao ar mais uma edição do ‘Troféu Imprensa’. Por isso, o blog presta uma homenagem para Alik Kostakis, colunista social que esteve na votação em sete anos seguidos, entre 1984 e 1990. Morta em 7 de maio de 1998, aos 70 anos, Alik foi vítima de um derrame cerebral.

A colunista já havia sofrido um AVC em 96, que deixou como sequela uma paralisia no lado esquerdo do corpo. Pouca gente sabe, mas Alik Kostakis era grega e chegou ao Brasil com 16 anos. Em 1957, foi convidada por Samuel Weiner a integrar o jornal ‘Última Hora’. Chegou a ser correspondente internacional, na Itália, e foi colunista do ‘Diário Popular’, ‘Carta Capital’ e ‘Folha da Tarde’.

Nas votações do ‘Troféu Imprensa’, não escondia sua admiração por Hebe Camargo e Silvio Santos. Ainda na TV, fez parte do programa ‘Quem Tem Medo da Verdade’, nos anos 60, na Record.

3 comentários em “Momento saudade – Alik Kostakis

  1. constantino comninos
    10 de abril de 2016

    Obrigafdo pela homensgem que poucos fazem para Alik Kostakis.
    Alik era filha de Pipima Kostakis, prima irmã de minha mãe.
    Conheci Alik desde garoto em SP quando visitava minha avó, tia de
    Alik. Guardo boas lembranças dela. Lembro de uma reunião na casa de
    Tia Pipina no Bairro de Pinheiros, nos anos da Segunga Guerra, quando
    conheci seu primrio marido, Octávio Mendes Casado. Escritor e jornalista.
    De seu segundo casamento com Walter, quando moravam nos Jardins,
    também guardo boas lembranças. Eu comprava a Ultima Hora só para
    ler as crônicas de Alik que continham seriedade e humor.
    Obrigado pela oportunidade de ler sobre Alik.
    Estekam bem todos os membros da família de tia Pipina que ainda se
    encontram em SP. Meu nome é Constantino Comninos.
    Sou filhos de Afrodite Diacópoulos (mãe) Tambacopoulos.
    Meu pai era Cosmos Comninos. Sou professor universotário faz
    54 anos. Moro em Curitiba.

  2. CONSTANTINO KOSTAKIS JR
    18 de abril de 2012

    Merecia pelo menos uma rua com seu nome, pois ela ajudo a muitos com propósito da benevoLência, sua marca registra a bondade!!

  3. carlos eduardo
    11 de abril de 2012

    alik foi a maior colunista social feminina que o país já teve , esta homenagem é justa , mas cabe dizer que alik sempre foi correta nas suas posições politicas , infelizmente somos um país sem memoria ,poucos sabem de sua força e prestigio , nunca se curvou a politicos ou a propria sociedade escreveu mais de 40 anos colunas diarias , foi recebida por personalidades nacionais e internacionais , e manteve -se idonea aos conceitos corretos do jornalismo , alik era personalidade em qualquer lugar que estivesse festas da alta ou com o povo tinha a linguagem das pessoas simples , gostaria de finalizar que alik escreveu na revista vogue durante decadas , quando de sua morte a colunista joyce disse “morreu a mãe dos colunistas” pura verdade , doutor Rui mesquita escreveu no dia de
    sua morte que alik inovou no colunismo só isto basta para completar esta bela,e justissima homenagem .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 25 de março de 2012 por em Momento saudade.

Categorias

%d blogueiros gostam disto: