central de notícias

especializado em TV/por Guilherme Guidorizzi

Perfil – Cláudia Raia

Aos 44 anos, a atriz Cláudia Raia acumula uma série de novelas e programas em sua carreira iniciada aos 10 anos como manequim de Clodovil Hernandes. Com 13 anos, Maria Cláudia Motta Raia, seu verdadeiro nome, já tinha 1,70 m de altura e despontava no mundo da publicidade e da dança, quando ganhou uma bolsa para estudar balé em Nova York.

Como bailarina, dançou em países como Argentina e EUA. Aos 17 anos, voltou para o Brasil e estreou na TV no programa humorístico “Viva o Gordo”, na Globo, no quadro ‘Vamos malhar’. Um ano depois, estrelou o musical ‘Chorus line’ e em 84, 85 e 86, posou para a ‘Playboy’. Primeiramente usando o nome de batismo e nas duas vezes seguinte, já assinava Cláudia Raia.

Em 1985, a atriz participa de sua primeira novela: “Roque Santeiro”, no papel da dançarina de boate Ninon. O papel lhe rende o Troféu Imprensa de revelação daquele ano. Em 1987, Cláudia Raia atua em “Sassaricando”, dando vida à feirante Tancinha que vivia ‘assassinando’ o português. No ano de 88, integra o elenco de outro humorístico: a “TV Pirata”, onde interpreta tipos como a presidiária Tonhão. A ideia era que o público não enxergasse mais na atriz somente a beleza, suas pernas e coxas grossas.

Quatro anos depois, a atriz participa de “Deus nos Acuda”, como a Maria Escandalosa, e é indicada ao Troféu Imprensa de melhor atriz do ano – em votação vencida por Glória Menezes. Em 1998, a atriz vive a empresária Ângela Vidal de “Torre de Babel” e é, novamente, indicada ao Troféu Imprensa. Um ano depois, interpreta a Hortência de “Terra Nostra”.

No ano de 2001, Cláudia Raia atua em “As Filhas da Mãe”, como a transsexual Ramona. Outro tipo marcante veio em 2002 na novela “O Beijo do Vampiro”, a vampirona Mina de Montmartre. Já em 2005, dá vida à Safira de “Belíssima”. E em “A Favorita”, a atriz vive Donatela. Atualmente, é a perua Jaqueline do ‘remake’ de “Ti-ti-ti”. Nesses mais de 15 papéis só em telenovelas, destaque também para a María Antonieta de “Cambalacho” (1986) e a Celeste de “Vamp” (1991).

Cláudia viveu ainda a protagonista de “Engraçadinha…Seus Amores e Seus Pecados” (1995), foi vista em “Você Decide”, “Mulher”, “Sai de Baixo” e “Minha Nada Mole Vida” entre outros programas. Em 2012, é a vilã Lívia de “Salve Jorge”.

O sucesso da atriz lhe garantiu um programa solo exibido em 1995, o “Não Fuja da Raia”, que virou atração semanal em 96. O nome veio da peça teatral que estrelou em 1991. No teatro, aliás, Cláudia subiu aos palcos ainda com “Nas Raias da Loucura” (93) e “Caia na Raia” (96), além de “Batalha de Arroz num Ringue para Dois” (2004). Sua versatilidade foi usada também no cinema em filmes como “Kuarup” (89), “Matou a Família e Foi ao Cinema” (91) e “Os Normais 2″ (2009). Em seu currículo estão ainda prêmios como o da Associação Paulista dos Críticos de Arte (em 1985, por “Roque Santeiro”, como revelação feminina) e o Qualidade Brasil (em 2005, por “Belíssima”, como atriz coadjuvante). Na vida amorosa, foi casada com Alexandre Frota (por três anos) e Edson Celulari (por 17 anos), com quem teve os filhos Enzo e Sofia.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 11/01/2011 por em Perfil.

principais seções

TODAS AS CATEGORIAS

O ‘CENTRAL’ APOIA

INDICAMOS

Uma comédia de Pablo Diego. No Teatro Augusta, toda 4ª e 5ª às 21h

SIGA NO TWITTER

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: