central de notícias

especializado em TV/por Guilherme Guidorizzi

Pérola Faria: ‘Estou numa ótima fase. Feliz no meu trabalho, na vida’

No dicionário, pérola significa algo brilhoso e uma pessoa de qualidades muito apreciáveis. Tais definições caracterizam muito bem a atriz Pérola Faria que vive atualmente a Vitória/Vicky da novela “Rebelde” da Record. No ‘remake’, Vitória quer se casar com um homem rico por puro interesse. Na vida real, a atriz nascida no Rio de Janeiro afirma que está solteira, negando, assim, os boatos que envolvem ela e o também ator Arthur Aguiar, o intérprete do desajustado Diego Maldonado.

Vitória é a terceira personagem da carreira da atriz na TV, a segunda na Record onde estreou em 2009 no papel de Juliana de ”Bela, a Feia”. Nessa entrevista exclusiva, Pérola relembra a Giselle que a projetou na telinha em ”Páginas da Vida”, da Globo em 2006, fala da sua personagem atual e da passagem pelo cinema em filmes de Márcio Augusto – no mais recente, ‘Revoltados’, interpretou a esportista Isabel -, além, claro, de revelar se teve um fase rebelde na adolescência.

CENTRAL: Como você definiria a Vitória. Ela é uma vilã ou apenas uma garota mal compreendida?

PÉROLA FARIA: Acho que está mais para garota mal compreendida. Porque ela enxerga as coisas de uma forma diferente, é uma menina um pouco interesseira, aparentemente romântica, e madura.

CENTRAL: Você se inspirou em alguém para compor a Vitória? E chegou a ver a versão mexicana (onde a personagem era vivida pela atriz Angelique Boyer)?

PÉROLA FARIA: Não. Já assisti alguns capítulos da mexicana, mas poucas coisas da Vicky. Minha idéia não era me basear na outra versão.

CENTRAL: Os personagens de ‘Rebelde’ têm uma certa fase de rebeldia durante a novela. E você na pré-adolescência teve uma fase rebelde?

PÉROLA FARIA: Acho que a maioria passa por uma fase meio rebelde. Na pré-adolescencia a gente costuma acreditar menos nos nossos pais, enxergamos eles como “os vilões” e não entendemos que o que fazem é para o nosso bem. Nessa fase a gente não tem muito diálogo com eles, medo ou vergonha de falar as coisas. Mas depois passa.

CENTRAL: E a sua experiência no cinema, no filme ‘Revoltados’, como foi?

PÉROLA FARIA: Foi um média-metragem. Gostei muito! Já havia feito outros três (‘Um dia de van’, ‘A herança’ e ‘O parque’) com o mesmo diretor.

Enxergamos, na pré-adolescência, nossos pais como ‘vilões’, mas depois passa

CENTRAL: Como foi crescer frente às câmeras, o povo ainda vê em você a Giselle de ‘Páginas da Vida’?

PÉROLA FARIA: Muito. É a personagem mais comentada, e dá saudade em todos.

CENTRAL: Papel de destaque na novela, faculdade de moda, mesmo que trancada – em virtude do ritmo frenético das gravações – e um amadurecimento que você já disse em outras entrevistas. É verdade que você está namorando e morando sozinha? E esse é o seu melhor momento?

PÉROLA FARIA: Estou solteira, e ainda moro com meus pais. Mas com certeza estou numa ótima fase, contratada, feliz em casa, no meu trabalho, na vida.

Agradecimentos a Carauta Estratégia de Imagem

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 08/06/2011 por em Entrevista.

principais seções

TODAS AS CATEGORIAS

O ‘CENTRAL’ APOIA

SIGA NO TWITTER

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 38 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: